WHAT'S NEW?
Loading...

Podcast Post 048: Entrevista com o Podcast CabulosoCast

Hoje Destacamos um Podcast que dispensa apresentações, Um clássicos dentro e fora do seu tema base, Um podcast e site que cumpri muito bem seu trabalho de entreter e levar Cultura ao mundo, com vocês O Inigualável Lucien O Bibliotecário agora em:



Entrevista com o Podcast CabulosoCast


Eduardo Cosso - Para começarmos, nos diga, o que motivou o nascimento do Leitor Cabuloso?


Lucien-  A história está longe de ser uma inspiração para alguém. Na verdade, o Leitor Cabuloso nasce depois do CabulosoCast. Ainda nos primórdios do CC, minha irmã, Serena, - que na época fazia parte da equipe - começou a visitar outros sites que falavam sobre literatura, foi aí que ela percebeu que existiam sites/blogs que possuíam parcerias com editoras e que faziam resenhas dos livros recebidos.


A partir deste momento, decidimos que o nosso blog seria muito mais do que um local para hospedar o CC, iríamos tentar publicar conteúdo sobre literatura além do podcast. No início, nosso foco era em notícias e resenhas. Eu e Serena (minha irmã) dividíamos o tempo entre a publicação diária de notícias, a produção de resenhas e - no meu caso - a edição do CC. Tudo não passava de uma diversão. Fazíamos porque gostávamos, porque isso era algo que tínhamos em comum, ambos leitores e queriam falar sobre nossas leituras, porém com o tempo percebemos que as pessoas interagiam com o conteúdo que produzíamos, liam as notícias, as resenhas, comentavam nos episódios do podcast, daí começamos a nos preocupar com o tipo de conteúdo que produzíamos e também percebemos que o nosso foco não seria a literatura pura e simplesmente, queríamos falar sobre a leitura de uma forma mais abrangente. Além de ler livros, sempre fomos leitores assíduos de quadrinhos e mangás e para nós isto deveria fazer parte do conteúdo que publicávamos no LC.


Mesmo não fazendo mais parte do LC, percebo que tudo que eu e Serena pensamos para o site lá no finalzinho de 2010 acabou definindo a linha editorial que seguimos até hoje.


EC- Com tanto tempo no ar, foi conseguido o objetivo inicial do site e do CabulosoCast?


Lucien- Sim e não. O conteúdo em si do LC ainda é pautado por objetivos e metas traçados em sua criação, mas vivemos em um país onde há uma boa parcela da nossa população que findará o ano de 2015 sem ler nada, seja quadrinho, mangá ou livro.


Quando penso nisso, e por ser professor sou obrigado a pensar nisso todos os dias, pois essa realidade faz parte do meu trabalho, percebo que falar de leitura para leitores é fácil, mas motivar pessoas que não possuem intimidade com a leitura, transformar aquilo que a escola apregoa como obrigação em lazer é um objetivo que ainda estamos muito, muito longe de atingir.


Mas é um trabalho que vem dando seus frutos há um bom tempo. Já recebemos diversos tipos de depoimentos de pessoas que caracterizavam a si próprios como leitores ocasionais e passaram a ler mais devido ao nosso conteúdo.


EC- O que vocês acham de outros podcasts que falam sobre livros, qual é o diferencial de vocês para outros podcast do tema?


Lucien- Ler - não importa o quanto definições acadêmicas tentem dizer o contrário - é uma experiência individual. A minha leitura é realizada por diversos filtros que compõem a história da minha vida, logo quando temos mais pessoas falando sobre um determinado livro, temos invariavelmente, mais pontos de vista, mais possibilidades de compreensão daquele texto e, por motivos óbvios, teremos pessoas que podem se encantar por aquela obra, já que além de se identificar com o livro, também se identifica com quem fala dele.


A primeira vez que tive contato com a obra de José Saramago foi através de um professor que palestrava em um congresso que participei. A maneira como falou da obra de Saramago e a indicação que fez de O Ano da Morte de Ricardo Reis foram fundamentais para que eu me sentisse motivado a procurar pelo autor. E veja que coisa curiosa, minha mãe era uma leitora apaixonada pelo autor Saramago, mesmo assim só quando aquele professor falou dele foi que despertou o interesse em mim. Quando cheguei e perguntei se ela possuía O Ano da Morte de Ricardo Reis e minha mãe confirmou foi um deslumbre. Hoje é o meu autor favorito.


Daí vem a frase da Coca-Cola que é válida: "Quanto mais podcasts literários, melhor"; quanto mais pessoas discutindo suas leituras melhor, já que se alguém me ouve falar de uma determinada obra e não se empolga para procurar pode acabar se deslumbrando com outro que fale daquele mesmo livro, mas com talvez uma paixão que eu não tenha conseguido transmitir.


Qual a diferença do CabulosoCast para os demais? Não sei. Nunca soube responder a essa pergunta. Sempre que sou questionado respondo algo diferente. Contudo, quando eu, minha mãe e minha irmã nos encontrávamos - isto antes do CC, antes do LC - para falar sobre as leituras daquele período, falávamos abertamente sem academicismos ou tentando compreender a "verdadeira intenção do autor". Era uma conversa prazerosa, repleta de brincadeiras e risadas. Falar de um livro, para nós, era "tirar um sarro" do autor, dos personagens, da diagramação... nunca levávamos a sério tentando parecer soberbos ou os únicos que haviam assimilado a mensagem verdadeira e transformadora daquela obra. Se gostávamos, gostávamos, se não compreendíamos o que havíamos lido, era isso que dizíamos ao outro, sem medo de represálias. Era uma diversão falar daqueles livros. Das partes que o escritor "viajou", do trecho que nós "faríamos melhor". Era uma conversa de leitor para leitor. Acredito que sempre pensei que o conteúdo do LC deveria ser assim. Que as pessoas percebessem que quem fala ali não é um especialista na área formado, diplomado e único autorizado a falar daquilo. Não, não. Queríamos convidar ao debate, trazer a pessoa para se divertir o tanto que nós tínhamos nos divertido ao ler aquele material.


Agora se isto é o diferencial? Repito. Não sei.


Entrevista com o Podcast CabulosoCast


EC- Vejo uma grande evolução do primeiro podcast para os mais novos, o que mudou de importante do primeiro podcast para o último que está on-line?


Lucien- Tudo mudou. No começo, o CC ia ao ar do jeito que estava. Se bom, se ruim, se bem editado, se mal editado, era apenas um passatempo. Logo que os downloads começaram a crescer e os comentários começaram a ser frequentes percebi que precisávamos mudar.


As mudanças começaram aos poucos. Existem tantas pessoas que são responsáveis por esse amadurecimento que seria injusto não conseguir enumerar todas, mas aqui vai. Primeiro, o Paulo Elache me deu uma bronca carinhosa de pai quanto a minha postura como host de um podcast. E sem sombra de dúvida se hoje consigo ser um bom host no CabulosoCast é graças a ele.


Segundo, ao Thiago Miro do TelhaCast; quando ouvi o primeiro episódio pensei: "Caramba esse cara mora aqui em Pernambuco e edita de uma forma tão competente, posso me esforçar mais e ser tão bom quanto".


Terceiro, a Priscilla Rúbia, que mesmo sem saber sempre me deu força nos bastidores e soube criticar e sugerir temas para podermos diversificar a pauta dos programas.


Quarto, ao Ivan_pd, um ouvinte critico que eu tenho que sempre acreditou no potencial do CC e, sempre me disse que poderíamos ter um programa bem-humorado sem necessariamente ser um programa de humor. Foi a primeira pessoa que me fez pensar na forma de transmitir o conteúdo do CC.


Quinto, a Domenica Mendes que me fez perceber que eu precisava compartilhar funções no LC e assim me deu espaço para que eu pudesse me dedicar mais ao CC.


Sexto, ao Lucas Ferraz que não só foi mais uma cabeça para pensar as pautas, mas se tornou um apoio imprescindível em momentos difíceis.


E por último, a um cara que talvez não faça ideia o quanto se tornou importante, ao Igor Rodrigues de O Drone Saltitante, que trouxe uma certa maturidade a maneira com abordamos alguns temas, e para mim, definiu atual fase que o CC vive.


E perceba que não falei de equipamentos ou programas de edição. Pois isto acabam se tornando supérfluo. Já ouvi diversos podcasts que possuem qualidade impecável, mas se esquecem do óbvio de ouvir quem critica e opina sobre o seu conteúdo.


EC- Nos fale quando a ideia da criação do Podfiction e qual seu maior objetivo, a aceitação foi boa pelos ouvintes do CabulosoCast?


Lucien- O PodFiction nasceu de uma pesquisa feita sobre o tipo de conteúdo que os leitores do LC mais apreciavam. A ficção científica se destacou e perguntei ao Paulo Elache se não gostaria de incorporar esse formato que ele tinha/tem no Podespecular ao LC. Quando ele respondeu que sim fiquei muito feliz em possibilitar aos leitores do site este novo programa.


O PodFiction traz áudio-dramas de contos de ficção científica. Lançamos 9 episódios e percebemos que o público apreciava bastante este trabalho. Hoje o tempo é algo escasso e todos estão conectados. Por isso, o formato Podfiction possibilita a pessoa ouvir contos e noveletas de ficção científica enquanto faz suas obrigações diárias.


Atualmente estamos nos preparando para embarcar em uma nova fase, trazendo além de alguns contos inéditos, a republicação de alguns áudio-dramas que saíram dentro do CC. Era algo que os ouvintes pediam. Muitos se sentiam desmotivados a ouvir o episódio novamente, pois só queria ouvir o áudio-drama que estava perdido no meio de um CC.


EC- Como está sendo a experiência de se gravar o LCTV? Qual é a principal diferença de se gravar um vídeo para se gravar um podcast?


Lucien- Se você gera conteúdo on-line é importante não se prender a uma única mídia. Como disse a cima, hoje temos pouco tempo, e esse tempo está disperso em diversas plataformas. Por isso, levar o conteúdo do LC para o You Tube se tornou uma das metas de 2015, porém como fazê-lo quando se está "contaminado" pelo podcast?


Essa foi a minha maior dificuldade, trazer conteúdos novos para o vídeo que não fossem uma continuidade daquilo que fazíamos no CC. Eis, que entra a figura do Alyson Monteiro, um grande amigo que conheci aqui onde moro, em Caruaru, e que tem renovado o LCTV com novas ideias e formatos. Hoje lançamos dois vídeos por semana, um na terça e outro na sexta, sempre procurando inovar e levar o bom-humor consolidado no CC.


Mas as dificuldades são muitas. Para começar, o próprio meio dos "booktubers" - como são chamados aqueles que falam de literatura no You Tube - é bastante engessado. Ou são vídeos resenhando livros, ou mostrando livros recebidos, ou respondendo tags... não há nada de errado em fazer isso, eu mesmo experimentei vários deles no começo, mas como o CC é muito ouvido não queria replicar o conteúdo. Hoje queremos sim, falar de leitura, mas tentando fugir do lugar-comum, sem querer reinventar a roda, esperamos continuar diversificando a maneira de falar de leitura. Cada vídeo é um desafio.


Quanto a diferença entre o vídeo e o podcast, falo de uma questão bem boba e muito pessoal. É o despojamento. Quando gravo podcasts não me preocupo se a barba está feita, se estou aparentando cansaço, se já usei aquela camisa para gravar... no vídeo tudo isso conta. Se não para quem vê, mas para mim.


Outro fator importante é quanto a qualidade dos vídeos. No podcast você consegue disfarçar algumas coisas como uma pauta nem sempre bem estruturada, uma gravação que não foi tão boa quanto foi ao ar, mas no vídeo tudo parece mais cru, se a gravação não é bacana parece mais nítido, se há algum ruído de fundo ou eco no áudio parece que tornasse mais visível, mais real. Melhorar nossos equipamentos tem sido um desafio.


Entrevista com o Podcast CabulosoCast


EC- Gosto muito das resenhas, os livros são escolhidos para serem resenhados ou quando um livro é lido, já se faz uma resenha dele?


Lucien- A linha editorial do Leitor Cabuloso compreende a resenha de livros através de parceria com editoras. Contudo, há duas apenas duas resenhistas, a Priscilla e a Domenica que possuem parcerias, os demais resenham livros que algumas editoras nos enviam.


Quando o autor entra em contato com site oferecemos o serviço de publieditoral.


EC- Qualquer pessoa pode escrever um conto ou vocês escolhem os contos que valem a pena serem publicados pelo site?


Lucien- Atualmente a curadoria dos contos é feita pelo Lucas Ferraz. Hoje, temos uma preocupação de não apenas publicar o conto, mas possibilitar ao autor ter alguém que revise seu texto, ou seja, um trabalho de copydesk.


Entrevista com o Podcast CabulosoCast


EC- Na parte de coluna, me chama a atenção a variedade de temas escritos por lá. Existem alguns assuntos obrigatórios ou os colunistas escrevem tudo o que acham valer a pena?


Lucien- As colunas sem sombra de dúvida são nossa maior aposta. Como disse, a cima me referindo aos canais de literatura no You Tube, existe uma sedimentação quando falamos de literatura em blogs. Daí a importância das colunas que permitem não apenas falar de uma obra específica, mas discuti-la através de um viés particular daquele colunista.


Por mais que queiramos, eu, Priscilla, Domenica e Lucas não conseguimos contemplar a infinidade de livros que são publicados, nossos próprios gostos literários interferem nisso. Mesmo a pauta do CC sendo diversificada, sabemos que é impossível abordar tantas obras sobre focos tão diferentes. Um quadrinho, um mangá ou um livro não são apenas seu traço ou sua narrativa. Existem outros elementos que merecem ser analisados com mais cuidado e desmembrados ao longo de um texto mais extenso.


Fizemos a seleção para colunistas e pedimos sugestões do que eles gostariam de escrever, solicitando uma amostra para podermos avaliar. A variedade de temas vem daí. Queríamos ideias novas que fossem possíveis de serem desenvolvidas de forma mensal. Falar de leitura não é apenas falar de livros no formato de uma resenha. Existem diversos temas e debates que permeiam o mundo dos leitores que o CC não consegue contemplar. Mesmo produzindo um programa por semana, há assuntos que necessitam de um trabalho mais aprofundado e que seriam melhor desenvolvidos em texto.


Contudo, os colunistas possuem seus próprios editores. Eu, a Domenica e Lucas somos responsáveis pela revisão. Logo, o colunista é livre para escrever o que ele quiser, mas nós formatamos para melhor se encaixar na linha editorial do Leitor Cabuloso.


EC-  Alguma Considerações Final?


Lucien- Agradeço ao Marcos pela oportunidade de falar do meu trabalho no LC. Ao longo de 5 anos tentamos incentivar a leitura através dos conteúdos que geramos. Diferente de outros sites/blogs o LC possui uma meta como slogan: Por um país de mais leitores.


Faço o convite para que acessem o site, aproveitem nossos posts com conteúdo dos mais diversos para todo o tipo de leitor. Ouça nosso podcast, o CabulosoCast que vai ao ar sempre as quartas-feiras e assista nossos vídeos, procurando por Leitor Cabuloso no You Tube ou acessando no Menu do site a aba LCTV.


Obrigado mais uma vez.