quarta-feira, 1 de julho de 2015

Podcast Post 034: Perfil Dragões de Garagem

O Podcast é realmente uma ferramenta muito boa de divulgação dos mais diversos trabalhos, hoje trazemos um pouco mais sobre o Podcast voltado para a ciência, convidamos Luciano Queiroz, dos Dragões de Garagem, para bater um papo sobre este blog muito interessante agora em:



Perfil Podcast Dragões de Garagem


Nerdópole: Para começar Luciano, como chegaram a este nome? O que ele representa para vocês?


Luciano: O Lucas Camagos e eu, quando criamos o podcast, não queríamos um nome que terminasse em “cast”, nada contra, mas preferíamos algo menos óbvio. Como gostamos muito dos livros do Carl Sagan, criamos o nome do podcast a partir do capítulo “O Dragão na minha garagem” do livro “O Mundo Assombrado Pelos Demônios”. Nele, o Sagan narra uma história sobre a existência de um dragão que vive em uma garagem e a única pessoa que consegue vê-lo é o dono da garagem. Outras pessoas vão visitá-lo e não conseguem ver o suposto dragão, então, o dono da garagem começa a dar justificativas do porque as outras pessoas não veem o dragão. Quando alguém tenta criar um experimento para “vê-lo”, o dono cria outra justificativa e assim vai, até não existir nenhum outra forma de saber da existência do dragão, a não ser acreditar na única pessoa que o vê. Essa metáfora representa o interesse e o Sagan a utiliza exatamente para isso, pois existem várias ideias criadas por pessoas malucas ou charlatãs mesmo, que se comportam dessa maneira, como astrologia, ufologia, design inteligente, homeopatia e numerologia, só para citar algumas. Essas ideias utilizam da roupagem da ciência, mas não são e recebem o nome de pseudociências.


Nerdópole: Qual era a proposta quando vocês criaram o Podcast e esta ideia já se modificou?


Luciano: A ideia do podcast é divulgar ciência de uma maneira descontraída e de vez em quando, combater as pseudociências. Procuramos conversar como se estivéssemos entre amigos, falando de ciência, bebendo cerveja e dando boas risadas.


Podcast Dragões de Garagem


Nerdópole: Vocês estão ligados ao Scienceblogs, explique o que é e qual a vantagem para os Dragões de Garagem!


Luciano: O Scienceblogs Brasil (SBBr) é, como costumamos brincar, um condomínio de blogs de ciência. São mais de 50 blogs feitos por cientistas, estudantes de pós-graduação e jornalistas. Alguns blogs estão inativos, mas a maioria publica textos frequentemente. Entramos para o SBBr no começo de 2013 e só tivemos a ganhar. A principal vantagem, sem dúvida, é ter disponível todos os blogueiros como participantes do podcast. Quando vamos gravar algum assunto que conhecemos pouco e não sabemos quem convidar, mandamos um e-mail para o grupo do SBBr e sempre conseguimos alguém para gravar conosco. O melhor exemplo disso foi o nosso episódio sobre computação (Episódio #31 do DdG). Não sabíamos quem convidar e o Ricardo Bittencurt, (Caixaazul)apareceu na lista, deu um show no episódio e é um dos que mais gostamos. Existem outras vantagens, como a empresa que dá suporte ao SBBr, a NuminaLabs (numinalabs.com.br) e sempre nos ajuda com questões logísticas.


Nerdópole: O que vocês acham do cenário de Podcasts Acadêmicos hoje em dia?


Luciano: No Brasil, dá para contar nos dedos de uma mão o número de podcasts voltados para assuntos científicos (Fronteiras da Ciência, Dragões de Garagem, SciCast, Rock com Ciência e BiomedCast), mas existem outros podcasts sobre assuntos acadêmicos. Ainda somos poucos podcasts de ciência, ainda tem espaço e demanda para novas iniciativas. Além disso, eles podem utilizar formatos diferentes, abordar os assuntos de forma diferente, ainda tem um mundo para ser explorado. Nós do Dragões damos total apoio para quem quiser começar um podcast de ciência! Podemos ajudar com dicas de gravação e edição, além de divulgar a iniciativa. Além disso, se quiserem que a gente participe de algum episódio,é só entrar em contato. Quanto mais pessoas falarem de ciência, melhor. =D


Nerdópole: Você acha que teria conseguido criar um podcast diferente da sua formação? Exemplo, cinema, quadrinhos, bapo de bar?


Luciano: Eu, Luciano, não. Talvez sobre futebol e livros, mas tenho certeza que não me manteria tão dedicado por tanto tempo. O DdG foi uma forma interessante que encontramos para fazer divulgação científica e contribuindo para disseminação do conhecimento científico, que é uma meta pessoal de cada membro do podcast. E posso dizer que o podcast é só o começo.


20150701_085045


Nerdópole: Quanto tempo leva entre gravar, editar e lançar o Programa, e como é o relacionamento do integrantes.


Luciano: O Dragões é um podcast quinzenal. Como todos nós estamos envolvidos em alguma atividade acadêmica, graduação, pós-graduação e docência, não podemos dedicar um ou dois dias inteiros para produzir o podcast. Então, procuramos fazer um pouco a cada dia. Normalmente levamos entre uma semana e meia  ou  duas ou para definir pauta, chamar convidados, gravar, editar e organizar publicação. Quando temos mais tempo, vamos realizando as etapas com mais calma, quando não, vamos correndo com tudo para não atrasar. Conseguimos criar uma boa rotina e confesso que é uma das partes mais difíceis de se fazer um podcast: organização. Nós nos relacionamos muito bem, sempre procuramos discutir todas as etapas da produção e procuramos chegar a um senso comum, às vezes conseguimos, outras vezes não, mas isso é normal.


Nerdópole: Quem costuma gravar os programas?


Luciano: Temos uma equipe fixa que acabou se tornando a “cara” do podcast, eu, Lucas Camargos e Cristiano Silvério. Sempre procuramos mantê-los em todos os programas, mas quando alguém não pode, substituímos. Além dos três, podemos ter um ou dois convidados e mais um participante interno do podcast, ou apenas participantes internos. Existem muitas opções para formação da equipe de gravação e ela sempre depende do assunto que vamos abordar.


Nerdópole: Qual a relação de vocês com os ouvintes do Podcast? Como manter o interesse deles para que sempre voltem?


Luciano: Procuramos nos relacionar normalmente pelas redes sociais, como se fôssemos amigos que conhecemos há muito tempo. Tanto que dois ouvintes viraram membros do podcast e atualmente são peças fundamentais (Lucas Conrado e Vitor Nascimento). Além disso, procuramos ler e responder os e-mails que recebemos, algumas vezes não podemos ler todos os e-mails que recebemos,mas sempre enviamos um abraço ou respondemos de outra forma. Outra coisa que costumamos fazer é sortear livros e participar de eventos fisicamente, como o YouPix e Campus Party.


Podcast Dragões de Garagem


Nerdópole: E o publico é formato somente por acadêmicos?


Luciano: A grande maioria do público é formada por universitários, mas isso não quer dizer que eles irão seguir uma carreira acadêmica. Posso afirmar que são estudantes que estão para entrar na universidade, universitários, pós-graduantos e outros.


Nerdopole: Qual o episódio que vocês mais gostaram de fazer?


Luciano: São vários. Os que eu mais gosto são: episódio #7 sobre ufologia, episódio #22 sobre mulheres na ciência, episódio #35 sobre a história da matemática, episódio #39 sobre astrologia, episódio #41 sobre os aspectos sociais do ebola, episódio #45 sobre design inteligente, episódio #49 no qual fizemos uma entrevista com a professora Sônia Lopes e o episódio #52 sobre a relatividade geral.


Nerdopole: Notamos que o Podcast é rico em informações. Vocês costumam estudar o tema antes do programa ou tudo é feito com base no que vocês já sabem?


Luciano: Depende do assunto. Se for um assunto que ninguém da equipe entende, temos que nos preparar muito bem. Mas se for um assunto que temos domínio, nos preparamos menos. Um exemplo disso é o episódio #9, sobre taxonomia. O Lucas Camargos é especialista, convidamos um amigo que também é, eu trabalhei com isso na graduação e o Cristiano sempre sabe um pouco de tudo, então, não precisamos estudar muito, só preparamos a pauta e lemos alguns materiais para reforçar o assunto.


Nerdópole: Qual a maior influência do Podcast?


Luciano: Nossa influência da podosfera é o Nerdcast, não tem como fugir disso. Mas dentro do Nerdcast, destaco os episódio sobre ciência que começaram por um incentivo do Atila Iamarino (atualmente do Nerdologia) e que nos mostrou que poderíamos tratar desses assuntos em um podcast. Outras influências, essas mais voltas para Divulgação Científica são: Carl Sagan, Marcelo Gleiser, Ernest Mayr, Edward Wilson, Richard Dawkins, Neil DeGrasse Tyson e vários outros, essa lista é grande.


Nerdópole: Luciano por que vocês escolheram o Podcast? Por que não um blog apenas ou outro formato de mídia?


Luciano: Acreditamos que o podcast poderia ter um impacto maior e nos permitiria explorar os assuntos de forma diferente, em comparação com um texto escrito. Além disso, na época, final de setembro, só existia o Fronteiras da Ciência como podcast de ciência e alcançando um publico bem específico. Vimos que tinha muito mais espaço do que tem hoje e resolvemos explorá-lo.


Nerdópole: Existe algum impacto do projeto em suas vidas pessoais? Como conciliar?


Luciano: Claro. Eu tenho que dedicar entre 10 e 12 horas semanais para o podcast. Abro mão de fazer outras coisas em detrimento do podcast e os demais integrantes do DdG também. Mas tudo é questão de prioridades, o podcast é um projeto importante e o esforço vale muito a pena, ainda mais quando recebemos e-mails dizendo que influenciamos na vida de outras pessoas, tornando-as mais interessadas  em ciência a ponto de quererem fazer um curso na área, servindo de companhia nas viagens intermináveis de carro ou de ônibus pelas cidades do Brasil, ou quando recebemos uma gravação de um pai e suas duas filhas fazendo a abertura do DdG (utilizamos como abertura do episódio #45). Quando essas coisas acontecem todo o esforço é recompensado.


Agradecemos a Luciano Queiroz do podcast Dragões de Garagem por nos mostrar um pouco mais deste Podcast um grande abraço e Sucesso.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário