terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Brincadeiras que Ninguem Mais brinca

brincadeira-de-criança

Hoje em dia com os jogos eletrônicos estando cada vez em mais lares, seja por consoles ou pela internet, as brincadeiras "saudáveis"  de rua foram ficando para trás, pode ser que em algum lugar interiorano algumas destas brincadeiras ainda sejam praticadas mas é difícil dizer, eu brinquei de quase tudo que era inventado na rua então me lembro de:

 

Passa Anel:

 

passa-anel

Cara esta brincadeira é extremamente feminina, mas eu brincava ate para ficar perto das meninas; como na imagem pessoas ficam com a mão fechada como se rezassem, e outra carrega um anel na mão, pedra, feijão ou algo que o valha, (as mães não deixavam brincar com os anéis delas) e passava de mão em mão deixando ele cair secretamente em uma, o menino/menina de fora tinha que adivinhar onde o anel estava.

 

Pega pega, Duro ou Mole:

 

duro-ou-mole

O Pega pega normal todo mundo conhece, mas neste ramificação da brincadeira, quem é pego vira estátua enquanto os outros tentam salva-lo sem serem pegos, quando o pegador conseguir transformar todos em estátuas o primeiro a ser pego fira o pegador no próximo turno.

Desta brincadeira ainda conheço A versão em que não se pode salvar a estátua e o Pega-pega ajuda-ajuda, que cada pego ficar um pegador ate o ultimo.

 

Birosquinha

biroquinha

Bolinha de gude também tem várias versões, mas a que me lembro de ver os outros jogarem (porque eu era muito ruim) era a birosquinha, onde cavava-se buracos no chão em uma linha reta mas não me lembro quantos, e o jogador só tinha o direito de matar a bolinha e tomar ela se antes acertasse no buraco, como um golfe só que não.

 

Guerra de Mamonas:

 

guerra-de-mamonas

Mamonas são estas frutinhas que nunca mais vi depois que sai do nordeste e o lance era o seguinte, poderia ser em times  ou não, poderia ser individual ou não, a regras desta brincadeira variavam muito do dia e do humor das crianças, o importante era pegar estas belezinhas (correu uma lágrima agora) E acertar o inimigo, e pelo que me lembro este não saia da brincadeira como morto, a coisa todo continuava ate alguém ter que recarregar as mamonas (que davam o ano todo no nordeste como se fosse um milagre)

Em alguns momentos a engenharia nos ensinou a pegar um pedaço de cano velho fixar uma bexiga em um dos lados e prender com um elástico de dinheiro. como na imagem:

armar-de-guerra-de-mamonas

Só que o cano era mais largo, então a mamona cai ali dentro e usando a bexiga era disparada no inimigo, detalhe que em alguns momento a beleza da brincadeira estava em ver a mamona estourar no inimigo..

O que? sim doía para caramba.

 

Tom Marcos

 

 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário